Crianças ribeirinhas são orientadas por bombeiros sobre prevenção de afogamento – Parceria CBMPA e SOBRASA

A semana é de festa para o Corpo de Bombeiros Militar do Pará (CBMPA). Em meio às comemorações pelos 134 anos da corporação, nesta quinta-feira, 24, foi realizada a Semana de Prevenção Contra Afogamentos. Depois de palestras ministradas na Ilha do Combu e Cotijuba, os bombeiros encerraram a programação nesta sexta-feira, 25, na Ilha das Onças, com atividade voltada para as crianças ribeirinhas. “A população ribeirinha tira o sustento do meio líquido e as crianças aprendem a nadar muito cedo. Só que, estatisticamente falando, a maioria das pessoas que morrem afogadas sabe nadar porque elas acabam se colocando em uma situação de risco”, explicou o Capitão Leonardo Sarges, comandante da operação.

O Pará possui o recorde negativo de mortes por afogamento na região Norte. Em 2014, foram registrados 142 óbitos. Em 2015, o registro foi de 149 mortes. Neste ano, os números continuam preocupando. Até o início de novembro, foram 131 mortes por afogamento.

A ideia da campanha foi debatida no início do mês, em um congresso nacional e a partir do ano que vem a campanha será adotada por todos os grupamentos aquáticos de bombeiros do país, em parceria com a Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático (SOBRASA)

Com 134 alunos de 4 a 14 anos, a Escola Municipal Piramanha recebeu a última palestra da Semana Preventiva por acolher a maior parte das crianças moradoras da Ilha das Onças. A campanha dos bombeiros foi comemorada pela direção da escola como um reforço na educação dos pequenos. “Mesmo com as crianças morando na área ribeirinha, elas  nunca tiveram acesso a cuidados teóricos pra evitar um afogamento. As crianças não têm nenhum cuidado e já assumem até a direção de pequenas embarcações como ‘rabetas’, essa é uma preocupação muito grande por parte dos professores. É fundamental essa parceria dos bombeiros com a escola”, disse Esmeralda Nascimento, diretora da escola.

Os bombeiros foram recebidos com festa e muita curiosidade por parte da criançada. O que os pequenos não poderiam imaginar é que aqueles homens com jeito de super-herói são também divertidos na hora de ensinar. Além de cuidados básicos como a importância do uso de coletes, evitar entrar no rio sozinho e atenção na hora do mergulho, os bombeiros simularam brincadeiras típicas das crianças nos rios. “Aprendi a como não me afogar jogando ‘briga de galo’. Foi muito legal a aula”, festejou João Victor Santos, 9 anos. “Achei muito bacana porque agora já sei como me proteger das cobras e não me afogar quando brinco com meu irmão na água”, disse Keyseane Araújo, de apenas 6 anos.

Durante a aula do manuseio de coletes, a pequena Esther Araújo, 6 anos, deu show de habilidade. Amarrou direitinho no boneco usado como demonstrador e ganhou brinde dos “tios” bombeiros. Filha de pescador, ela levou a lição mais importante pra casa: “Não vou deixar mais meu pai sair sem colete. Nunca mais”.

Por Syanne Neno

Dr David Szpilman

Dr David Szpilman

Dr David Szpilman - Sócio Fundador, Ex-Presidente, Ex-Diretor Médico e atual Secreatário-Geral da SOBRASA; Ten Cel Médico RR do CBMERJ; Médico do Município do Rio de Janeiro; Membro do Conselho Médico e Prevenção da International Lifesaving Federation - ILS; Membro da Câmara Técnica de Medicina Desportiva do CREMERJ. www.szpilman.com