O naufrágio Bateau Mouche – Decorridos 30 anos, tragédias semelhantes continuam a acontecer em nosso país…

PREFÁCIO
Decorridos 30 anos do naufrágio do Bateau Mouche, a SOBRASA decidiu revisitar o terrível episódio, por sua natureza emblemática em relação às trágicas mortes por afogamento, causadas, sobretudo, pela ausência de importantes procedimentos de navegação segura, principalmente, em passeios turísticos marítimos.
A SOBRASA convidou o engenheiro e economista Helio Meirelles Cardoso para apresentar o seu relato inédito, na condição de sobrevivente do naufrágio.


Sobrevivente do naufrágio mais impactante do Brasil – Bateau Mouche – que ocorreu na noite de 31 de Dezembro de 1988, mais precisamente na Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro, quando estava a caminho de Copacabana para ver os fogos de final de ano. Hélio Meirelles, Engenheiro e Economista, contará em vários capítulos semanais toda tragédia que viveu e como ajudou diversas pessoas a se salvar.
Das 142 pessoas a bordo, 55 morreram.
Helio foi o último passageiro com vida a ser resgatado naquela noite.
Nas próximas semanas, os visitantes desse site poderão ler os capítulos redigidos pelo Helio e, assim, acompanhar as situações emocionantes vivenciadas por ele, a cada momento do seu drama como vítima do naufrágio.
A execução deste projeto contou com a participação entusiasmada do medalhista olímpico Djan Madruga. Além de ter atuado como indutor da parceria entre a SOBRASA e o autor, o campeão Djan manteve-se diligente para que as etapas do projeto fossem cumpridas dentro dos respectivos prazos.
Com essa iniciativa, a SOBRASA espera contribuir no entendimento e assim na educação da prevenção, para que as medidas de segurança na navegação como um todo, sejam respeitadas integralmente, poupando, acima de tudo – VIDAS.

SOBRE O AUTOR – Hélio Meirelles Cardoso
Brasileiro, Casado, 66 anos
Formação Acadêmica
Graduado em Engenharia Química pela EQ / UFRJ – 1974
Graduado em Economia pela Católica de Brasília – 1983
Pós-graduado em Engenharia Petroquímica – Petrobras – 1975
Pós-graduado em Engenharia Econômica – UFRJ – 1976
Pós-graduado em Business Administration – London University ( Canada ) – 1988

Resumo das Qualificações
Presidente – Confederação Brasileira de Pentatlo Moderno (desde 2002 ) – filiada ao Comitê Olímpico Brasileiro – COB.
Auditor Honorário (resultado de reeleição em Assembleia) – União Internacional de Pentatlo Moderno – UIPM (desde 2008) Federação Internacional da modalidade com sede em Mônaco.
Membro da Assembleia Geral do Comitê Olímpico do Brasil.
Membro do Conselho de Esporte da Associação Comercial do Rio de Janeiro.
Diretor Financeiro – Administrativo – Instituto Nacional da Propriedade Industrial – INPI (2005 / 2007) – autarquia federal com cerca de 1000 empregados (sevidores e terceirizados).
Assessor Parlamentar do Presidente – Instituto Nacional da Propriedade Industrial – INPI (2008 – 2012).
Diretor Superintendente – Pólo de Biotecnologia do Rio de Janeiro – Bio Rio (2001/2002).
Diretor da Petrobras Química S.A. – Petroquisa (2 mandatos entre 1984 – 1989).


Presidente e Diretor de Engenharia – PetroRio – Empresa do Pólo Petroquímico do Rio de Janeiro em Itaguaí – (1990-1992) – projeto industrial (o maior do Brasil à época) com investimentos superiores a U$ 2 bilhões.
Presidente – Politeno – Empresa localizada no Pólo de Camaçari, sendo a segunda maior em faturamento do Complexo, produtora de resinas plásticas – (1993 / 1994) – empresa com cerca de 300 empregados e exportações superiores a US$ 200 milhões/ano.
Secretário de Indústria, Comércio e Turismo do Estado do Rio de Janeiro (1998).
Diretor – Instituto Fluminense de Petróleo e Gás – Universidade Cândido Mendes (2000/2004).
Coordenador do Grupo Setorial para indústria petroquímica, farmacêutica, insumos químicos para agricultura e química em geral. Ministério da Indústria e Comércio (atual MDIC) – Conselho de Desenvolvimento Industrial – CDI (1979 / 1986) – órgão de deliberação colegiada responsável pela formulação e execução da política industrial.
Co-autor do Livro “ A Indústria Química e o Desenvolvimento do Brasil 1500-1889”

Dedico este trabalho à memória da minha amada mãe, Hilma, por seu infinito amor, por ter sempre me motivado nas minhas inúmeras conquistas e pelo seu colo confortador nas inquietações e dificuldades que encarei na vida.

ÍNDICE
Capítulo I – SERIA UM INDÍCIO– 9 de dezembro – 6:00h

Capítulo II – A RAIZ REDONDA 
– 16 de dezembro – 6:00h

Capítulo III – NAQUELA MESA 
 – 23 de dezembro – 6:00h

Capítulo IV – PASSADAS EM NEW YORK 
– 30 de dezembro  – 6:00h

Capítulo V – UMA PERGUNTA DEIXADA SOBRE A MESA 
– 6 de janeiro – 6:00h

Capítulo VI – FÔLEGO PARA O FUTURO 
– 13 de janeiro – 6:00h

Capítulo VII – A ESCOLHA FATÍDICA 
– 20 de janeiro – 6:00h

Capítulo VIII – O CLIMA DE FESTA – 27 de janeiro – 6:00h


Capítulo IX – RECONHECENDO O AMBIENTE – 3 de fevereiro – 6:00h


Capítulo X – UM MAU PRESSÁGIO – 10 de fevereiro – 6:00h

Capítulo XI – DE UMA BOA CONVERSA NINGUÉM ESCAPA – 17 de fevereiro – 6:00h

Capítulo XII – OS INCOMODADOS QUE SE MUDEM – 24 de fevereiro – 6:00h


Capítulo XIII – NÃO PODE SER VERDADE – 2 de março – 6:00h


Capítulo XIV – UM VOO NA NOITE…UM MERGULHO NA PENUMBRA – 9 de março – 6:00h


Capítulo XV – COMO ACUDIR A TANTOS PEDIDOS DE SOCORRO – 16 de março – 6:00h

Capítulo XVI – O ENCONTRO COM AS FUTURAS VÍTIMAS FATAIS – 23 de março – 6:00h

Capítulo XVII – SALVAR PESSOAS SERIA UMA RECOMPENSA PELO ESFORÇO – 30 de março – 6:00h

Capítulo XVIII – BASTARIA ANA RESPONDER… – O naufrágio Bateau Mouche – 6 de abril – 6:00h

Capítulo XIX – DE VOLTA ÀS PROXIMIDADES DO BATEAU – O naufrágio Bateau Mouche- 13 de abril – 6:00h

Capítulo XX – UM GRITO DE MULHER NA ESCURIDÃO – O naufrágio Bateau Mouche- 20 de abril – 6:00h

Capítulo XXI – HÉRCULES NÃO PRECISOU NADAR NOS SEUS 12 TRABALHOS – O naufrágio Bateau Mouche- 27 de abril – 6:00h

Capítulo XXII – UMA SIMBIOSE INDISSOLÚVEL – O naufrágio Bateau Mouche- 4 de maio – 6:00h

Capítulo XXIII – COMO BRINDAR O ANO NOVO ? – O naufrágio Bateau Mouche- 11 de maio – 6:00h

Capítulo XXIV – ENFIM, UMA BOA NOTÍCIA – O naufrágio Bateau Mouche- 18 de maio – 6:00h

Capítulo XXV – MAIS UMA EXPERIÊNCIA RUIM, PORÉM O SOCORRO CHEGA – O naufrágio Bateau Mouche- 25 de maio – 6:00h

Capítulo XXVI – O FÔLEGO NO FUNDO DO RESERVATÓRIO – O naufrágio Bateau Mouche- 01 de junho – 6:00h

Capítulo XXVII – O FIM ADIADO POR FALTA DE FORÇA” – O naufrágio Bateau Mouche- 08 de junho – 6:00h

Capítulo XXVIII – UM NOME PARA NÃO ESQUECER JAMAIS:CASABLANCA – O naufrágio Bateau Mouche- 15 de junho – 6:00h

Capítulo XXIX – UM ATALHO TRAIÇOEIRO – O naufrágio Bateau Mouche- 22 de junho – 6:00h

Capítulo XXX – A MORTE TÃO PRÓXIMA – O naufrágio Bateau Mouche- 29 de junho – 6:00h

Capítulo XXXI – DEIXANDO O CASABLANCA – O naufrágio Bateau Mouche- 06 de julho – 6:00h

Capítulo XXXII – OVERDOSE NO MEU ESTADO EMOCIONAL – O naufrágio Bateau Mouche- 13 de julho – 6:00h

Capítulo XXXIII – ELOGIOS QUE VALEM UM PRÊMIO NOBEL – O naufrágio Bateau Mouche- 20 de julho – 6:00h

Capítulo XXXIV – UMA MENSAGEM DIVINA NÃO PODE SER EM VÃO – O naufrágio Bateau Mouche- 27 de julho – 6:00h

Capítulo XXXV – UMA SIMPLES PERGUNTA E A IMPLOSÃO – O naufrágio Bateau Mouche- 3 de agosto – 6:00h

Capítulo XXXVI – OS LENÇÓIS NEM ESTAVAM TÃO AMARROTADOS – ÚLTIMO CAPÍTULO – O naufrágio Bateau Mouche- 10 de agosto – 6:00h


Dr David Szpilman

Dr David Szpilman

Dr David Szpilman - Sócio Fundador, Ex-Presidente, Ex-Diretor Médico e atual Secreatário-Geral da SOBRASA; Ten Cel Médico RR do CBMERJ; Médico do Município do Rio de Janeiro; Membro do Conselho Médico e Prevenção da International Lifesaving Federation - ILS; Membro da Câmara Técnica de Medicina Desportiva do CREMERJ. www.szpilman.com