AFOGAMENTO EM PISCINAS COLETIVAS – Como prevenir?

Vamos falar dos riscos de afogamento em piscinas de uso coletivo, tais como hotéis, parques aquáticos, condomínios, clubes e academias.

Todos queremos nos divertir muito neste verão que esta chegando, mas mais do que isto queremos evitar que uma tragédia possa se abater sobre o nosso lar.

Você sabia que no Brasil metade de todos os casos de mortes por afogamento em crianças de 1 a 9 anos de idade ocorrem em piscinas?

Pois é, a piscina é o local de maior risco de afogamento para nossos filhos.

Se você vai usar uma dessas piscinas, saiba que a única forma de garantir que não haverá tragédia em sua família, é manter a sua atenção 100% do tempo em seu filho.

Exija sempre a presença de um GUARDA-VIDAS DE PISCINA, isto é fundamental. Mas entenda que a presença de um GUARDA-VIDAS, não substitui a supervisão dos pais ou responsáveis, portanto mantenha 100% de sua atenção em seu filho.

Lembre-se que o afogamento nestes locais ocorre mesmo que você não tenha ido preparado para entrar na piscina, pois as crianças são atraídas pela água e podem se afogar em alguns segundos com a sua distração.

Ensine flutuação e brincadeiras na água a partir dos 6 meses e natação a partir de 2 anos, mas não deixe seu filho sozinho na piscina ainda que ele saiba nadar.

Estabeleça regras claras de utilização da piscina para você e seus filhos
Não permita acesso a piscina para crianças menores de 9 anos que estejam desacompanhadas.

Só permita acesso à piscina a pessoas com atestado médico de saúde.

Não permita brincadeiras violentas que aumentem o risco de trauma e perda súbita da consciência.

Caso precise afastar-se da piscina para pegar qualquer coisa, leve sempre seu filho consigo.

Não permita o uso de vasilhames de vidro, materiais rígidos ou similares na área da piscina.

Incentive o uso de coletes salva-vidas para crianças menores de 5 anos ou adultos sem conhecimento de natação e não permita o uso de objetos de flutuação, como ex: bóias de braço, pranchas, pneus, bolas e outros. Eles transmitem uma falsa segurança.

Não se esqueça do protetor solar, de fornecer sombra e hidratação ao seu filho.

Sempre que usar a piscina verifique se o filtro esta desligado.

Aos adultos:
Não permita mergulhos de cabeça em locais raso e competições de prender a respiração embaixo da água,

Evite ingerir bebidas alcoólicas e alimentos pesados antes do banho e saia imediatamente da piscina se houver relâmpagos.

Aprenda primeiros socorros e saiba o que fazer se algo der errado.

Foram 9 meses para seu filho nascer, anos para seu crescimento, mas basta um piscar de olhos para ocorrer o afogamento e perde-lo para sempre.

Portanto perto da água não deixe seu filho sozinho em momento nenhum.

Boa diversão e até mais pessoal!

Dr David Szpilman

Dr David Szpilman

Dr David Szpilman - Sócio Fundador, Ex-Presidente, Ex-Diretor Médico e atual Secretário-Geral da SOBRASA; Ten Cel Médico RR do CBMERJ; Médico do Município do Rio de Janeiro; Membro do Conselho Médico e Prevenção da International Lifesaving Federation - ILS; Membro da Câmara Técnica de Medicina Desportiva do CREMERJ. www.szpilman.com