O Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás reforça o alerta para a prevenção de afogamentos de crianças.

DIÁRIO DA MANHÃ – EDUARDO MARQUES

O Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás (CBMGO) reforça o alerta para a prevenção de afogamentos de crianças.

Um quarto das mortes por afogamento são de crianças.

Segundo a corporação, das 40 mortes registradas por afogamento, entre os meses de janeiro a novembro deste ano, 25% foram de crianças na faixa etária entre 0 e 11 anos. No mês de janeiro, o número triplica.

O afogamento é a quarta causa de morte acidental em adultos e a terceira em crianças e adolescentes de todo país.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático (SOBRASA) quatro crianças de até 14 anos morrem afogadas todos os dias no Brasil. As pesquisas mostram que 65% dos afogamentos ocorrem ao redor de casa.

Confira abaixo algumas medidas para prevenção de afogamentos em piscinas:
1. Em piscinas nada substitui a supervisão de um adulto responsável.
2. Mantenha 100% de supervisão em crianças perto ou dentro da água. 89% dos afogamentos ocorrem por falta de supervisão, principalmente na hora do almoço ou logo após.
3. Contrate um guarda-vidas de piscina se for fazer uma festa em casa com piscina.
4. Isole a piscina impedindo o acesso usando de preferência muro ou grades com altura de 1,50m e 12cm nas verticais com um portão de auto-fechamento. Elas reduzem o afogamento em 50 a 70%. Lonas e cercas vivas não são confiáveis.
5. Ensine flutuação a partir dos 6 meses, aquacidade (brincar na água) a partir de 1-2 anos e natação a partir de 4 anos. Nunca deixe seu filho sozinho na piscina ainda que saiba nadar.
6. Não superestime a capacidade de nadar de seu filho, tenha cuidado!
7. Caso necessite se afastar da piscina leve sempre sua criança consigo.
8. Incentive o uso de coletes salva-vidas para crianças menores de 5 anos ou pessoas sem conhecimento de natação e não permita o uso de objetos de flutuação, por parte dos usuários, como ex: bóias de braço, pranchas, pneus, bolas e outros.
9. Evite brinquedos próximos à piscina, isto atrai as crianças.
10. Desligue o filtro em caso de uso da piscina.
11. Não permita mergulhos de cabeça em locais de profundidade < 1,8m – coloque aviso.
12. Não pratique hiperventilação para aumentar o fôlego sem supervisão confiável.
13. Evite ingerir bebidas alcoólicas e alimentos pesados, antes do banho de piscina.
14. Sai imediatamente da piscina se houver relâmpagos.
15. Não permita brincadeiras violentas que aumentem o risco de trauma craniano e perda súbita da consciência.
16. Não permita o uso de vasilhames de vidro, materiais rígidos ou similares na área de piscina.
17. Mais de 40% dos proprietários de piscinas não sabem realizar os primeiros socorros – Aprenda o que fazer neste tipo de situação.

Fonte: SOBRASA

Dr David Szpilman

Dr David Szpilman

Dr David Szpilman - Sócio Fundador, Ex-Presidente, Ex-Diretor Médico e atual Secreatário-Geral da SOBRASA; Ten Cel Médico RR do CBMERJ; Médico do Município do Rio de Janeiro; Membro do Conselho Médico e Prevenção da International Lifesaving Federation - ILS; Membro da Câmara Técnica de Medicina Desportiva do CREMERJ. www.szpilman.com